Sobre ser mulher

Em 11.03.2016   Arquivado em Beleza, Cotidiano

tvde29-sobresermulher

Eu tenho acompanhado um grande movimento Feminista em blogs, em vídeos no YouTube e até mesmo no Facebook. Eu ainda não sei o meu posicionamento sobre esse assunto, não posso me considerar 100% feminista, já que nunca estudei nada sobre, logo não tenho um grande conhecimento da parte teórica. Mas como toda mulher eu tenho um grande conhecimento da parte prática, aquela que você vive no dia a dia, sabe.

Vamos falar sobre homens? Não, acho que hoje não. Vamos falar sobre o feminismo? Também não. Queria muito falar sobre as minhas inquietações, as minhas angustias sobre relacionamentos com homens, com meu namorado, com meu pai, meu avô ou meus amigos homens, mas eu não acho que esse é o momento. Não porque eu queira resguardar ninguém, é só porque eu não me sinto preparada, em questões de palavras.

Queria muito ter a minha parcela de “abrir os olhos” de todas as pessoas que passam por situações que a fazem pensar duas, até três vezes “Porque eu to passando por esse momento mesmo?”. Mas já que eu não tenho as palavras belas pra externalizar o que eu sinto quero muito que você leia esse texto sobre o desamor dos homens, sobre o geito que somos criadas, sobre ser mulher, lá do blog Versoando: Sobre o desamor do Homen e sinônimo de cu é rola

E quero que você veja esse vídeo, sobre o porque o Dia Internacional da Mulher tem uma data especial, que esse dia não é só para os floristas ganharem dinheiro e para os hipócritas de chamarem de especial.

Depois eu fico aqui esperando que em algum lugar no futuro, um que não seja tão distante de mim, um que eu possa vivenciar, nós sejamos iguais e nada mais. Até lá eu trabalho aqui com meu coração de mulher.

 

  • Carol Naves

    Em 11.03.2016

    Sobre ser mulher, três palavras: é uma bosta!
    Mas só é uma bosta por causa do que a sociedade construiu através de séculos de opressão e machismo, infelizmente!
    Já está mais do que na hora das mulheres quebrarem essa ideia enraizada de que somos frágeis e vagabundas, para assim conseguir a verdadeira igualdade e um lugar ao sol, lado a lado com os homens 😉