Jogos do desejo para 2015

Em 28.02.2015   Arquivado em Cotidiano, Favoritos

Me julguem pessoas, mas eu sou uma fanática pelos consoles da Sony, hehe. O primeiro videogame que eu joguei foi um MegaDrive, da minha tia na época, e lembro da fascinação de poder jogar Sonic (não me recordo se era o primeiro ou o segundo da série antiga) e do medo que eu tinha de Jogar Mortal Kombat 3. Gente como eu era bobinha, tinha medo dos personagens de MK, principalmente da Shiva! Hahaha. Maaaas, depois uma amiga da minha mãe, sabendo que eu gostava dessas modernidades aí, gentilmente me emprestou o Sony Playstation dela. Ah, foi amor a primeira vista. Eu achei tudo uma maravilha, um glamour, uma diversão e uma frustração só. Eu jogava todos os dias depois que voltava da escola, Resident Evil, que eu me cagava de medo e Crash Bandicoot 2 e 3…

minecraft-playstation-4-edition

Enfim, o amor continuou pelas gerações, ganhei meu Playstation 2, comprei meu Playstation 3 (que foi roubado e depois ganhei outro do meu pai) e aqui estamos, em uma nova geração com o Playstation 4 só me esperando, haha. Quando eu comecei a entender melhor dessas coisas de consoles eu percebi que você pode cair em uma cilada, Bino, se você não ponderar direitinho em qual console você vai investir seu rico dinheirinho (caso você não seja uma pessoa rica, como eu), mas no fundo do meu coração, quando eu pensei se comprava um Wii U, um Xbox one ou um Playstation 4, eu já sabia a resposta. Mas, o que mais me motivou a amar mais ainda o PS4, foram os exclusivos, dois mais propriamente dito, o novo Silent Hills e Bloodborne! Quando eu ouvi a palavra Silent Hills eu quase chorei de alegria e tristeza ao mesmo tempo, porque como eu vou ter coragem de jogar aquilo, Senhor? Já que esse ano eu vou comprar um PS4 eu já estava de olho nos próximos lançamentos, né?! É uma lista enorme de lançamentos para o ano todo, praticamente, mas eu vou colocar aqui só os que eu estou empolgada pra jogar. Acompanhem:

The Witcher 3: Wild hunt: Eu nunca joguei nenhum dos outros dois jogos, mesmo porque eu não sou muito fã de jogar pelo computador, e porque até o Witcher 2 eu nunca tinha ouvido falar do jogo! Eu sei que o universo todo é baseado em uma série de livros Polonesa e que é bem famosa por lá. Espero que a história dos outros dois não importem muito, porque ambos são exclusivos de PC e eu não vou jogar tão cedo!

Bloodborne: Mais um jogo da série Souls, que engloba Demos Souls, Dark Souls e Dark Souls 2. Esse está no topo da minha lista. No começo eu achava que seria um Demons Souls 2, mas confesso que fiquei mais feliz que não é uma sequência e sim uma coisa nova! Só fiquei meio assim de não ter Souls no nome, ia ficar tão lindo se fosse algo como Blood Souls, ou Boodborne Souls mesmo. Enfim, de qualquer maneira, eu espero morrer me divertir muito.

Tearway unfolded: Tearway é um joguinho muito matuto de PS Vita, que eu queria muuuuito ter jogado quando lançou, mas eu não tenho um PS Vita e não tenho planos de ter um pelos próximos anos. Eis que o sucesso dele fez com que fizessem um jogo completamente novo para o console da nova geração! A ideia inicial do estúdio era transportar a versão do Vita direto para PS4, mas os mecanismos do Vita que deixaram o jogo tão único, não dariam certo no Dual Shock 4. Então fizeram um do zero, para minha alegria!

Resident evil hd: Eu gosto muito da série Resident Evil, mesmo achando que deu uma decaída básica de uns tempos pra cá. Lembro que tinha um remake muito legal, mas que era exclusivo de Game Cube, console que eu nunca nem sonhei em ter (desculpa, Nintendo). E eu achava que eu nunca ia poder jogar, até que Deus iluminou a vida das pessoas certas e já está disponivel para jogar uma versão em HD dessa belezura! O bom é que eu posso jogar no meu Playstation 3. Mas de qualquer maneira ainda é lançamento na minha cabeça!

PS: Eu comprei Resident Evil HD pouco tempo depois de ter escrito esse post e já zerei ele. Posso dizer que é bom esse jogo, heim!

Pathologic: Joguinho de terror russo, que originalmente tinha sido lançado para PC em 2006, e eu nunca tinha ouvido falar dele, Jesssuis. Agora no remake para 2015 o jogo vai ter uma pegada de escolhas rápidas, que eu imagino ser tipo as de The Walking Dead, que vão pesar na história.

The witness: Eu amo muito Braid, joguinho independente de Jonathan Blow. Esse jogo é a coisa mais linda, mais difícil e mais emocionante que eu joguei na vida e agora o senhor Blow está para lançar seu segundo jogo, que vai ser exclusivo para PS4. Expectativas altas? Muito altas! Assim como em Braid o jogo vai ser focado em quebra-cabeças, que eu imagino serem bem terríveis de se resolver a medida que se avança no jogo. Vamos ver se vai sair esse ano mesmo, já que o criador é muito perfeccionista e disse que o jogo só sai “quando estiver pronto”.

Grim fandango: Esse joguinho de 1998 ganha uma remasterização para esse ano, feita pela queridíssima Double Fine. Ouvi falar muito bem desse jogo, assim como de muitos outros da mesma época feitos pela Lucas Arts, famosa por fazer adventures de point and click, mas eu nunca tive muita certeza se tinha alguma versão de PC hoje, mas eis que surge essa novidade. E assim como Grin Fandango, esse ano também terá uma versão de Maniac Mansion: Day of the Tentacle. Será que Monkey Island também entra na dança?

Hellblade: Acho que foi em 2013 que eu tive uma boa surpresa com DMC: Devil May Cry. Eu não esperava muita coisa do reboot feito pela Ninja Theory, mas eu me diverti tanto jogando e ouvindo metal, que eu fiquei bem animada com o novo projeto do estúdio! E o mais legal é que eles se inspiraram na cultura Celta, coisa que eu nunca vi um jogo fazer antes.

Until down: Outro jogo de terror, mas esse promete ser tenso. Ele vai ser como um Heavy Rain, mas que se passa no mundo de Jason ou do carinha de Halloween. Isso mesmo criançada, nós vamos controlar jovens cheios de hormônios que fogem de um psicopata. Mais que demais, não é! Eu mal posso esperar pra ver se eu vou fazer tudo que eu achava que os jovens burros dos filmes faziam no desespero, haha.

Chroma squad: Esse é um jogo no mínimo curioso: é um gerenciador tático de Sentai. Sentai são seriados de super heróis como Jaspion e Power Rangers. E como isso pode ter virado um jogo, eu não sei, mas sei que eu quero jogá-lo a muito tempo e agora é minha hora, rapaziada. Um detalhe bem bacana é que ele foi produzido pela empresa brasileira Behold Studios. Mal posso esperar para ter meu próprio programa de TV.

Resident evil: revelations 2: Eu gostei do primeiro Revelations, mas vou te dizer, amigos, não tem revelação nenhuma naquela bagaça. Mas mesmo assim eu vou jogar esse aqui, porque, né, vai que a revelação aparece. Nunca se sabe. Só espero que as missões não sejam arrastadas como quando eram quando eu tinha que jogar com qualquer outro personagem que não fosse a Jill. Se bem que o fato de eu poder voltar a jogar com a Claire já me anima um pouco.

Persona 5: Só joguei Persona 4, mas parece que a coisa que eu mais preciso fazer em 2015 é curtir mais um jogo dessa série. Persona 5 promete muito, e eu sei que eles vão fazer o jogo cumprir tudo isso, me dando mais umas 120 horas de jogatina e de rotina (piada interna, só quem jogou entende, desculpa), haha.

The Vanishing of ethan carter: Depois que eu vi o André, do Jogabilidade, jogando esse jogo eu fiquei com muita vontade de jogar também, mas, né, com meu PC da xuxa eu acho que não rola. Mas o PS4 está aqui para me dar alegrias como essa! Ele é um mistério só, só sei que você tem que resolver a morte (ou não, sei lá) de um menino chamado Ethan Carter. Adoro mistérios, hehe.

Eu disse que a lista era grande. Quer dizer, eu acho que eu disse… Com tanto jogo assim eu vou entrar em falência logo, logo. Bom, é isso, essas são as novidades videogamisticas para esse começo de ano. E vocês, me digam quais são os jogos mais aguardados por vocês que serão lançados esse ano ainda? Super beijos.